sexta-feira, 26 de agosto de 2011

URGENTE E IMPORTANTE


Relógio desperta, levanto-me, mas ainda não sei se realmente acordei. O que me vem à mente é a sensação de que já estou atrasado e preciso “correr”. Algo ou alguém me espera, preciso ir sem demora... Documentos, ligações, reunião, trabalho braçal, entregas, visitas, pendências, decisões, obrigações... Eis que me aguardam.
É assim. Cada dia pareço estar imerso num sistema que continuamente exige de mim uma resposta, iniciativa, ação; e que, preferencialmente, ou melhor, exclusivamente, seja feito de forma perfeita.
Azáfama!  Eis um grito, numa palavra difícil, para expressar o que vivo.
Mas nem tudo está perdido, posso organizar-me interiormente para poder começar organizar melhor o externo.
Sei que tudo o que me rodeia é importante. Todas as esferas de minha vida merecem atenção. No entanto, meus braços não são elásticos, não consigo abraçar o mundo.
Preciso então discernir e eleger nas coisas importantes aquilo que tem caráter de urgência. E assim, priorizando o que é urgente, as coisas vão se “organizando para serem mais bem organizadas”.
Mas deve-se tomar cuidado para não fazer com que tudo o que é importante se torne urgente. Eis um abismo que pode nos levar novamente a azáfama.
O que é urgente? Aquilo talvez que não é tão fixo, mas tem caráter imediato na sua solução. São as coisas inadiáveis, dependentes de uma decisão “hoje e agora”, de uma atitude concreta para seguir em frente. É preciso encarar tais coisas e não deixá-las para depois. Geralmente quando o urgente é engavetado, amanhã ele reaparece como problema.
Por sobrevivência faz-se necessária uma melhor organização. Administrar as prioridades. Pois querer fazer muitas coisas ao mesmo tempo é uma forma capciosa de viver. Desgaste grande, o de fazer pouco do que fazemos muito.
Em suma, saber que nem tudo o que é importante é urgente, e que tudo o que é urgente é importante; cria bases para um agir administrativamente organizado.
Em meio à azáfama???
Priorizar dentre as coisas importantes aquelas que são mais urgentes, talvez seja uma mínima e inicial solução.


3 comentários:

  1. Pedro Freitas, Bagé/RJ29 de agosto de 2011 09:59

    Hudson Roza, voce não sabe a contribuição que seu texto me ofereceu para ter uma disciplina melhor no trabalho. Eu me vi no seu texto, na minha realidade quotidiana, muito bom mesmo e, sobretudo, útil e vital. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  2. rsrsrs, interessante... quando comecei a ler pensei que estivesse lendo meu próprio diário... Voce, em outros textos também, consegue decifrar e expressar nos textos a realidade que nos circunda. Realmente, é preciso dar prioridade às coisas urgentes para não ficarmos loucos diante do ativismo imparável. Prof Samapaio.

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante seu texto amigo. Não sabia que escrevia tão bem assim, parabéns. Adm B

    ResponderExcluir